segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Coligações: dia decisivo

O dia que antecede a data marcada para as convenções dos partidos que formam a base do governo Raul Belém promete ser agitado e  com previsão de uma série de reuniões para tentar chegar a um acordo entre os partidos para formar as coligações que irão disputar as cadeiras no legislativo municipal para a próxima legislatura. A tarefa é árdua e pelo visto as lideranças partidárias não chegaram a um denominador comum, por isso todos aguardam pra hoje uma interferência do Prefeito Raul Belém ao estilo Raul Belém (Pai).

 Projetos pessoais, projetos partidários não devem prevalecer quando o que está em jogo é o destino da cidade pelos próximos quatro anos, temos que deixar de ter uma visão míope e entender que Araguari  precisa de uma nova emancipação política no sentido de voltar a ter importância no cenário político estadual e nacional, e que só vamos conseguir resgatar essa importância elegendo um deputado em 2018 e que as eleições de 2018 estão necessariamente atreladas as eleições municipais de 2016.  Houve um tempo em que as ações políticas envolvendo a cidade de Araguari, o Estado de Minas Gerais e até mesmo as questões nacionais eram decididas com o pulso forte do saudoso Deputado Raul Belém, era natural que o maior líder político da cidade assumisse para si a responsabilidade de conduzir os atos políticos com vistas a obter os melhores resultados políticos para a coletividade. 

Voltando para 2016 os personagens são outros, mas os objetivos são os mesmos e o que se espera é que o atual prefeito, maior autoridade política da cidade seja o condutor desse processo na busca pelo entendimento entre os partidos para que as coligações sejam formadas atendendo a maioria dos partidos e evitando sequelas.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Os guerreiros se preparam!!!!!

 
Com o período de campanha eleitoral batendo as portas, o Prefeito e provável pré-candidato a reeleição Raul Belém começa a escalar seus principais Generais que estarão na linha de frente conduzindo a equipe que lutará para reconduzi-lo ao Palácio dos ferroviários. No final da semana passada o advogado José Flávio de Lima deixou a Superintendência da SAE, e para os próximos dias existe a expectativa de que o Procurador Geral do Município Drº Leonardo Borelli, bem como o Secretário de Governo Oliro Junior também se afastem do Governo para juntos coordenarem a campanha da reeleição. 
 
 
 
 
 
 
Analogamente de acordo com Cila Shulman "organizar uma campanha eleitoral é como abrir uma empresa que tem como meta a liderança de um setor, tudo em tempo recorde e sem direito a falhas, é como fundar uma empresa que começa do nada e que tem que funcionar em poucas semanas, se não perfeitamente, ao menos muito melhor que as suas concorrentes." 
 
 
 
 
 
 
A julgar pela experiência, histórico e competência dos três escolhidos pelo prefeito para estarem na linha de frente da equipe podemos supor que teremos uma campanha eleitoral profissionalizada, coesa e extremamente combativa.


terça-feira, 17 de maio de 2016

Promotora Drª Cristina participa da entrega de veículos para saúde

A Promotora de Justiça Dra. Cristina Fagundes Siqueira, da 4ª Promotoria de Justiça,  responsável pelos registros públicos, defesa da saúde e defesa dos direitos das pessoas com deficiência e idosos participou hoje da solenidade de entrega de mais dois veículos que passam à partir de hoje compor a frota da Secretaria Municipal de Saúde. Foram entregues uma UTI móvel e uma ambulância adaptada para pessoas com deficiência. Em seu pronunciamento a Promotora disse que a atual gestão fez uma verdadeira revolução no tocante a renovação da frota da Secretaria de Saúde, ela ressaltou que em 2013 só existiam quatro ambulâncias em atividade, e que com os veículos incorporados a frota hoje o número chega a dezesseis.  
 A Promotora destacou o sucesso da parceria entre o Ministério Público e o Governo Municipal nas pessoas do Prefeito Raul Belém, da secretária Lucélia e do Procurador Leonardo Borelli,na busca de soluções para melhorar a prestação do serviço público de saúde no município.

domingo, 8 de maio de 2016

20.000 araguarinos recebem a Tocha Olímpica



Uma grande festa popular. Cerca de vinte mil araguarinos se reuniram neste sábado pelas ruas da cidade e de frente ao Palácio dos Ferroviários para recepcionarem a Tocha Olímpica. Segundo um representante do Comitê Olímpico Internacional " essa foi sem dúvida a maior e mais calorosa recepção desde que a tocha chegou ao Brasil". O público começou a chegar por volta das 12:00h e pode assistir a diversas apresentações culturais. Se apresentaram o Coral da terceira idade , Banda do Conservatório Raul Belém, a Banda Maestro Luiz Bastos e a Banda do 17º Batalhão da Polícia Militar.


O Prefeito Raul Belém que estava acompanhado dos Secretários de Estado dos Esportes e do Turismo falou por cerca de 3 minutos, o anfitrião deu boas vindas a Tocha e aos membros do COI e agradeceu a população pelo comparecimento em massa.

sexta-feira, 6 de maio de 2016

PMDB pão com pão ?

Existem muitas especulações sobre a possibilidade do PMDB lançar uma chapa puro-sangue, ou pão com pão, com queiram, encabeçada pelo ex-prefeito Marcos Coelho tendo como vice outro nome do próprio  partido.Entre os possíveis vices figuras de destaque como o Juiz aposentado Rogério Fernal e o do recém filiado Jaime Battagline. Sinceramante não acredito nessa possibilidade de o PMDB optar por seguir sozinho na majoritária, mas se o fizer, creio que a direção do partido erra ao não incluir na lista de pretensos vices o nome da Vereadora Eunice Maria  Mendes. 



Eunice Mendes foi sem sombra de dúvidas, na atual legislatura a maior opositora ao atual governo, foi a primeira entre os vereadores da oposição a deixar a base já no segundo ano do Governo Raul Belém alegando discordância com o modelo de gestão da administração municipal, portanto se for pra ser pão com pão ela seria uma ótima opção para compor a chapa.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Para que mais uma CLI?



É inegável que a percepção do cidadão comum acerca das Comissões Legislativas de Inquérito é de que elas perderam o sentido de ser, ora por serem criadas como instrumentos de disputas políticas, ora pela ineficácia de seus resultados. As comissões de inquérito funcionam temporariamente, são propostas somente por parlamentares, tem caráter de fiscalização e investigação, com o intuito de trazer à tona desvios em oculto que afetam o interesse público. Porém é sabido por todos que Comissão Legislativa de Inquérito não julga, mormente pela natureza investigatória. Aquele que investiga não tem imparcialidade para julgar. Neste contexto a pergunta que não quer calar é: Para que mais uma CLI ?

Os cinco vereadores da oposição ao Governo já assinaram o requerimento propondo a criação da CLI da folha de pagamento, esperam a adesão do vereador Levi Siqueira egresso da situação e recém chegado a oposição, e também a assinatura do governista Dhiosney Andrade, pivô da polêmica em torno dos “altos salários” percebidos por pouco mais de uma dezena de servidores municipais, ao qual o vereador intitulou de “esquemão”.

Quem viver verá. Para a população em geral o fato de se criar ou não uma CLI é irrelevante pelos motivos citados na introdução desse texto. Já os desdobramentos que ainda podem ocorrer e as eventuais consequências para o futuro político do vereador protagonista dessa história ainda são imprevisíveis.



domingo, 15 de novembro de 2015

O ódio está no ar



Chama a atenção, nos últimos 12 meses, a ocorrência de episódios nos quais figuras eminentes do PT são hostilizadas em ambientes públicos. O caso mais recente envolveu o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, em um conhecido bar de Belo Horizonte. Pacífico como poucos e nunca relacionado em qualquer dos escândalos de corrupção de seu partido, Patrus pagou pelo extremo grau de desgaste que atinge o PT, o que configura mesmo uma onda de ódio contra o partido.

Na recente história democrática brasileira, Governos impopulares não são incomuns: José Sarney, por exemplo, amargou baixíssimos níveis de aprovação enquanto a inflação anual se media com quatro dígitos. Por uma crise econômica muito mais modesta, entretanto, Dilma Rousseff se tornou unanimidade na rejeição popular. Não se pode imaginar, assim, que a corrente antipetista tenha origem apenas na frustração nacional devido aos índices gerais de emprego e consumo.

Ao mesmo tempo, também não faz sentido crer na interpretação divulgada por lideranças petistas, segundo as quais as elites nacionais são responsáveis pelo atual humor político. Nesse complô imaginário, essas elites teriam orquestrado praticamente uma rebelião popular por puro despeito, já que a população de baixa renda passou a frequentar aeroportos e universidades, espaços anteriormente exclusivos dos mais abastados. Essa ideia não apenas torna vítima indefesa um dos partidos mais ricos e poderosos que o País já viu nas últimas décadas, como também superestima o poder dessas supostas elites. Trata-se, afinal, de uma simplória tentativa de se gerar apoio político a partir do contexto desfavorável atual: algo como um apostador que, diante do azar no jogo, decide dobrar suas apostas.

Assim, é na estratégia política recente do PT que se deve buscar as raízes do atual ódio antipetista. O conceito de luta de classes, tido como inevitável por Karl Marx no século 19, foi reduzido pelo PT a um refrão de torcida de futebol, usado para reunir apoio a Dilma enquanto essa perdia popularidade junto à classe média. A lógica era a de garantir o apoio da população de baixa renda, fomentando nessa uma aguda rivalidade em relação à classe média. Nesse embate, lideranças como Lula se colocaram como defensores heroicos dos despossuídos. O ódio, afinal, foi solto ao ar em grandes proporções, na expectativa de que essa fúria poderia ser domesticada e controlada a favor do PT.

Com ânimos acirrados, bastou que a crise afetasse o bolso dos mais carentes para que desertassem em massa do campo governista. A exaltação dos ânimos se voltou contra quem a incentivou. A estratégia petista partiu também de um risco potencializado pelo alto grau de exposição que o partido obteve na última década: o PT se tornou vítima de sua própria onipresença quando as coisas começaram a dar errado no Brasil. Patrus Ananias, manso bocaiuvense, sentiu injustamente o peso de todo esse contexto em seu momento de lazer, uma vez no ar, o ódio não escolhe suas vítimas.

Paulo Diniz
Bacharel em Relações Internacionais (PUC Minas)
Bacharel em Administração Pública (UFU)




domingo, 25 de outubro de 2015

Prefeitura de Araguari abre 125 oportunidades de emprego. Inscrições começam amanhã.

  Começa amanhã (26/10), as inscrições para o processo seletivo para os cargos de agente comunitário de saúde e agente de combate a endemias. Ao todo serão oferecidas 125 vagas sendo: 48 para agente comunitário de saúde e 77 para agente de combate a endemias.

 Segundo o vereador Luiz Construtor esse processo seletivo vem em boa hora, pois nesse momento em que o Brasil passa por dificuldades na economia, a Prefeitura que já é o maior empregador da cidade, abre agora mais 125 oportunidades. O vereador lembrou ainda que recentemente a Prefeitura empossou mais de 100 estagiários. " o poder público tem contribuído para aumentar os postos de trabalho no município". Afirmou o vereador. 

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Nova política?

A participação do pré-candidato Nilton Eduardo na reunião de alguns dos partidos da oposição não significa que ele irá integrar este movimento.

Apesar de reafirmar  categoricamente que será oposição ao Governo Municipal, segundo ele, o PDT não tem como objetivo principal se integrar a um grande bloco político pela simples e única razão de disputar a eleição contra o atual Prefeito.



O que o projeto do PDT pretende e irá realizar é se integrar a um grande projeto social, que esteja preocupado em apresentar uma nova e independente forma de atuar e governar, pelo bem exclusivo dos Araguarinos.


Dentre este novo cenário, o partido avalia que é preciso e indispensável uma ruptura com o sistema político atual e um pacto verdadeiro com a sociedade. "A reunião não me motivou em nada... não trouxe nada de novo. Faltam objetivos que interessem ao povo e não aos partidos!", afirmou. 

sexta-feira, 16 de outubro de 2015